SENTIMENTALISMO
Internacionalismo

"SENTIMENTALISMO é um internacionalismo. Superada a territorializaçâo das ideias políticas, que foi a caracteristica dos nacionalismos decimonónicos, e superadas as duas teorias redentoristas do s. XX, o comunismo e o fascismo, que deixaram o mundo semeado de cadáveres, os movimentos especulativos do capitalismo se converteram em lobbies supranacionais, que são o verdadeiro poder. O desordem global que a especulação afectam a todas as economias mas isso não quer dizer que estejamos ante forças desorganizadas ou caóticas.

A mundializaçâo dá lugar a dois movimentos contrapostos: um movimento centrípeto de resistência, orientado à preservación da diversidade, à afirmação das identidades culturais, e outro movimento -dizer-se-ia centrífugo- orientado à superação dos nacionalismos e das fronteiras dos estados. Não fica o recurso ao isolamento, é impossível, e perderam vigencia as teorias nacionalistas e autarquistas dos séculos passados. A globalização manda, internet manda, está a construir-se uma nova mentalidade, o processo é imparável!

A tensão anuncia a criação de um novo ordem mundial, que brotará da actual situação de conflito e desordem generalizados. SENTIMENTALISMO apoia tanto o movimento centrípeto (reconhecimento e preservaçâo da diversidade) como o centrífugo (criação de organismos mundiais a cada vez mais amplos), em ambos casos sob medida do humano. Nem a destilaçâo de esencias pátrias, que não existem, nem o mito de Grande Irmão, que inventou George Orwel em 1984, nem a sociedade súper controlada de Farenheit 451, de Ray Bradbury, nem Um Mundo Feliz, de Aldous Huxley: uma sociedade aberta, diversa e respetuosa com a liberdade individual, na que a criatividade seja a expressão dos talentos da cada um. Aqui o SENTIMENTALISMO!

SENTIMENTALISMO é um internacionalismo mas, nosso universalismo, não significa uniformizaçâo; antes bem, significa respeito pelas diferenças culturais, pela variedad no mais amplo sentido ecológico e humano, e só pode se dar a partir desse respeito, que em última instância se fundamenta no relativismo como método de interpretação da realidade. Desde esse respeito pela diversidade em todos os sentidos, propomos o governo mundial, através da criação de organismos internacionais permanentes de natureza pública, supraestatais, com plenas concorrências em assuntos de interesse comum, e com plena capacidade de acção sobre as matérias delegadas pelos Estados; em realidade, propomos o desaparecimento dos estados territoriais. Aqui o SENTIMENTALISMO!" (De Rebelde Estilo Novo)

contacto
voltar